Local de prova do vestibular

Para resolver o problema, é necessário analisar o que aconteceria se o grupo fosse dois e, a partir daí, repetir a operação com três, quatro, até sete piratas. Pirata A sugere manter todas as moedas. A proposta é votada e aprovada. Pirata A leva cem moedas e pirata B zero.

O pirata A sabe que, se fosse jogado no mar, o pirata C não aceitaria nada. Uma vez que retornaria à situação anterior, a de dois piratas, em que o pirata C tomaria o lugar do pirata B.

Então, o pirata A suborna o pirata C com uma moeda e ele vota a favor da proposta. O pirata A pega 99 moedas, o pirata B não leva nenhuma e o pirata C pega uma.

Como saber o local de prova do ENEM

O pirata A sabe que se ele morrer, o pirata C fica sem nada, porque, novamente, ele retorna ao cenário anterior, no qual três piratas devem dividir o tesouro. Nessa situação, o pirata C seria novamente o pirata B.

Como resultado, o pirata A carrega 99 moedas, o pirata B nenhum, o pirata C um e o pirata D zero. Portanto, você precisa de uma moeda para suborná-lo. Neste cenário o pirata A precisa de três votos, então ele dará uma moeda para dois piratas. Se ele morresse, eles receberiam zero moedas.

Assim, o pirata A leva 98 moedas, o pirata B toma zero, o pirata C pega um, o pirata D nenhum e o pirata E pega um. Assim, o pirata A carrega 98 moedas, o pirata B zero, o pirata C leva um, o pirata D não guarda nenhum, o E leva um e o F zero.

Neste cenário final (embora pudesse continuar indefinidamente), o pirata A precisa de quatro votos, então ele tem que subornar três companheiros. A melhor opção é comprar aqueles que têm mais a perder no caso de ele morrer. Por exemplo, os piratas C, E e G.

Conheça o seu vestibular

O resultado é: o pirata A leva 97 moedas; C, E e G pegam um e os outros ficam sem nada. A história é a mesma: o pirata A deve subornar dois piratas local de prova.

Neste cenário final (embora pudesse continuar indefinidamente), o pirata A precisa de quatro votos, então ele tem que subornar três companheiros. A melhor opção é comprar aqueles que têm mais a perder no caso de ele morrer. Por exemplo, os piratas C, E e G.

O resultado é: o pirata A leva 97 moedas; C, E e G pegam um e os outros ficam sem nada. Você já pensou sobre o assunto do seu ensaio e é hora de começar, mas algo o impede: como você escreve uma introdução? Aprenda abaixo como fazer a introdução que todo documento acadêmico deveria ter.


O início ou a introdução de qualquer texto é essencial para criar o “gancho” do leitor e isso é motivado para ler o conteúdo total. Você não sabe qual é a melhor maneira de obtê-lo? Descubra abaixo diferentes estratégias para escrever uma introdução eficaz, que antecipa o resto do seu documento acadêmico gerando intrigas e interesses.

A primeira coisa que você deve ter em mente é que a introdução deve cumprir o papel de imergir o leitor no contexto em que você vai concentrar o resto do ensaio. Por exemplo, se o assunto for sobre um autor do século 19, você deve começar colocando o leitor naquele momento, para que mais tarde seja mais fácil saber o que será encontrado a seguir. É uma maneira de prepará-lo, que pode começar de uma base sólida e clara e, em seguida, entrar no corpo com todas as ferramentas necessárias.

Local de prova do vestibular
Avalie este artigo!